As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

G1 - http://g1.globo.com/
15/07/2018
Tecnicos fazem queima em parque nacional para evitar incendios florestais

Técnicos fazem queima em parque nacional para evitar incêndios florestais
15/07/2018 15h19

G1 Tocantins

O Parque Nacional do Araguaia, no oeste do Tocantins, teve mais da metade da área destruída pelo no ano passado. Segundo o Inpe, mais de 80 focos foram registrados no local no fim de semana.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 84 focos de incêndio no Parque Nacional do Araguaia, no oeste do Tocantins, entre o sábado (14) e o domingo (15). Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), a maioria dos focos está sendo feita por equipes do órgão para fazer o manejo da área e evitar grandes incêndios florestais no período de estiagem.

O parque é o mesmo que foi devastado por um incêndio no ano passado. Segundo o Inpe, as chamas estão concentradas na parte norte da reserva indígena na ilha do Bananal, a maior ilha fluvial do mundo. No local, há aldeias das etnias Javaé e Karajá.

"Devido aos incêndios florestais que ocorrem normalmente no período de maior estiagem, temos aplicado uma técnica de manejo do fogo chamada de queima prescrita. Boas partes dos focos é o Ibama que está fazendo para que no período de incêndios essas áreas estejam manejadas", explicou Gabriel Zacharias, chefe do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo) do Ibama.

O responsável técnico informou que a queima prescrita simula um fenômeno natural do cerrado e consome apenas a vegetação rasteira, pois os arbustos e grandes árvores ainda não estão totalmente secos. Com isso, a plantas maiores ficam mais protegidas durante o período crítico da estiagem, evitando que incêndios florestais se espalhem.

No ano passado, o fogo no parque durou mais de um mês e destruiu metade da área total da vegetação. A devastação tinha o equivalente a duas vezes o tamanho da cidade de São Paulo. A situação só foi controlada após uma força-tarefa com Corpo de Bombeiros, o Ibama, o Exército e brigadistas ser montada.

"Essa queima visa buscar o regime natural de fogo que é na época de raios, durante o período chuvoso. Inclusive, estamos fazendo essas queimas com helicópteros para cobrir uma grande área e prevenir os incêndios florestais", explicou.

Desde o começo do ano, o Tocantins já teve mais de 2,2 mil focos de queimadas, sendo que mais de 400 foram registrados nos últimos 15 dias.

https://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/parque-nacional-devastado-por-...