As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

360 Graus - http://360graus.terra.com.br
26/09/2014
Serra da Bocaina e considerada cidade ideal para pratica de aventura

A pequena cidade localizada no Vale do Paraíba, aos pés da Serra da Bocaina é considerada a cidade ideal para a prática de turismo de aventura, contemplação e ecoturismo. Ao chegar a São José do Barreiro no Vale Histórico (SP) com seus casarios coloniais e uma pacata praça da matriz onde o tempo não passa, engana-se quem acha que não há nada para fazer. É justamente a partir deste ponto que a aventura começa. São 25 km de subida para chegar ao Parque Nacional da Serra da Bocaina. Recentemente a estrada recebeu trechos de asfalto e outros com cascalhos justamente para permitir aos visitantes boas condições de tráfego, entretanto o condutor deve tomar cuidado e dirigir devagar, o que lhe permite total apreciação de umas das mais belas paisagens do Brasil. No trajeto há vários mirantes naturais, parada obrigatória para contemplar a natureza e de onde é possível observar as cadeias de montanhas que formam as serras da Bocaina e Mantiqueira. A cada km de subida tem-se a sensação de estar chegando nas nuvens e sentir o frio aumentar. Fazer este trajeto já é prazeroso e mais prazeroso ainda é caminhar nos campos floridos da serra e visitar o Parque Nacional da Serra da Bocaina, que só permite a entrada de visitantes com autorização e a assinatura de termo de responsabilidade. O ideal é fazer a visitação com guias treinados e com carro 4X4 se o percurso for longo. A pé é possível fazer caminhadas de 1,5km ou 15 km ida e volta até as cachoeiras Santo Isidro e Posses, respectivamente, passeando em meio a Mata Atlântica com total integração com a natureza; pássaros, animais silvestres, espécies variadas de bromélias e outras espécies de fauna e flora típicas protegidas por leis ambientais. Há também a Trilha do Ouro com 73 km de extensão chegando à praia de Mambucaba, em Angra dos Reis. Esta trilha tem duração de quatro dias e só pode ser feita com guias treinados a andar na mata e floresta. Aos arredores do parque existem muitas trilhas para pedalar de mountain bike e são bastante procuradas por grupos que querem manter o contato com a natureza. No roteiro tanto a pé quanto de bike estão incluídos mirantes para contemplação, cachoeiras como a do Paredão e as ruínas da Casa de Pedra. Uma das atrações do local é a rampa de voo livre que atrai os voadores de asa delta e paraglider mais experientes devido à complexidade, altura e ventos. Após as caminhadas no Parque Nacional da Serra da Bocaina, há nas aproximações pousadas que oferecem almoço. Descanso faz parte e em seguida voltar para a cidade e curtir o clima bucólico de São José do Barreiro. Mas, para quem preferir ficar na serra ao longo do percurso tem várias pousadas como as Encanto da Bocaina, Campos da Bocaina, Ventos da Bocaina, Pousada Recanto da Floresta, Pousada Fazenda Conde d'Eu e Pousada Lageado. Sobre o Parque Nacional da Serra da Bocaina Com 104 mil hectares o Parque Nacional é uma das maiores áreas protegidas de mata atlântica e São José do Barreiro tem o privilégio de ser o portal do parque que se estende até as cidades de Angra dos Reis e Paraty (RJ), Areias, Cunha e Ubatuba (SP). É no Parque Nacional da Serra da Bocaina que está o maior pico do Estado de São Paulo, o Pico Tira Chapéu, localizado a 2.088 metros no morro Bela Vista e de onde é possível avistar as cidades do Vale do Paraíba, toda cordilheira da Serra da Mantiqueira e a baía de Paraty. O parque possui uma das maiores biodiversidades onde vale a observação de toda sua flora e fauna. É o local onde se podem ver os famosos cogumelos azul e vermelho. Estima-se que 60% da vegetação é composta por mata nativa e o restante foi regenerada há 30 anos. Cerca de 300 espécies de pássaros foram registradas e a mata é ainda habitat de várias espécies de cobras e insetos além de macacos, tatu e onça. Fecha às 18 horas e é importante não sair das rotas e trilhas caso não esteja acompanhado por guias.

http://360graus.terra.com.br/ecoturismo/default.asp?did=37150&action=news