As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Estado de Minas - https://www.em.com.br
26/07/2018
Incendio no Parque Serra Verde marca inicio da temporada de queimadas em Minas

Incêndio no Parque Serra Verde marca início da temporada de queimadas em Minas
26/07/2018 06:00

Gabriel Ronan

Nos últimos seis anos, o intervalo entre julho e outubro concentrou 84,3% das ocorrências desse tipo no estado, com 7.870 focos de calor

Um incêndio de grandes proporções no Parque Serra Verde, em Venda Nova, na tarde de ontem, anunciou o início da temporada de queimadas em Minas Gerais. Localizada próximo à Cidade Administrativa, a reserva começou a queimar no início da tarde. Quarenta hectares de vegetação foram atingidos. O combate ao fogo envolveu seis viaturas, com 28 militares do Corpo de Bombeiros, além de brigadistas e dois helicópteros e consumiu 50 mil litros de água. A maior preocupação ficou por conta de um foco na parte de trás da mata. Depois de aproximadamente duas horas e meia de trabalho, parte das chamas foram controladas, restando aos oficiais apenas administrar o rescaldo (cinza que contém brasa), tarefa que durou mais uma hora e meia, sendo finalizada por volta das 16h.

Bombeiros combatem incêndio no Parque Serra Verde, em BH
O incêndio envolvendo o segundo maior parque de Belo Horizonte, com 142 hectares, serve de aviso às autoridades e à população para a fase das queimadas que se inicia neste mês. De acordo com números do Corpo de Bombeiros, nos últimos seis anos, o intervalo compreendido entre julho e outubro concentrou 84,3% das ocorrências desse tipo no estado, com 7.870 focos de calor. Os números das queimadas nas unidades de conservação estaduais, como no caso da reserva próxima à sede do Executivo estadual, e no entorno delas também chamam a atenção no mesmo quadrimestre: foram 622 incêndios no período, o que representa 84% do total de 740 ocorrências, em média, entre 2012 e 2017, ainda segundo a corporação.

Neste ano, os bombeiros já mapearam 143 queimadas nas 92 zonas de conservação ambiental gerenciadas pelo governo do estado e nas redondezas delas. Uma das ocorrências foi justamente no Parque Serra Verde, no dia 6, quando um fogo intenso alcançou a copa de árvores próximas ao estacionamento da Cidade Administrativa. Contudo, em que pese o mês ainda não haver terminado, o número de casos em parques de preservação ainda é menor ao registrado de janeiro a julho do ano passado, quando 160 incêndios atingiram as matas.

O aumento das ocorrências entre julho e outubro se deve ao tempo seco e aos ventos fortes durante o período do outono, estação predominante nesse intervalo. Ontem, no momento da queimada em Venda Nova, os ventos alcançaram 16km/h, a maior velocidade do dia, enquanto a umidade relativa do ar chegou a 48%, de acordo com dados do portal meteorológico Climatempo.

De acordo com o pesquisador Alberto Setzer, coordenador do Programa Queimadas, vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), 99% dos incêndios são provocados por ação humana, de maneira intencional ou não. Segundo levantamento do órgão, o Brasil registrou 26.379 queimadas este ano, número acima da média história para o período até o fim de julho, computada desde 1998, estabelecida em 15.359 ocorrências.

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2018/07/26/interna_gerais,97580...