As notícias aqui publicadas são pesquisadas diariamente em diferentes fontes e transcritas tal qual apresentadas em seu canal de origem. O Instituto Socioambiental não se responsabiliza pelas opiniões ou erros publicados nestes textos.

Agencia Para - http://www.agenciapara.com.br
07/12/2012
Boletim do Idesp aponta reducao de 46% em focos de calor no Para

O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) disponibilizou nesta sexta-feira, 7, em sua página na internet, o Boletim de Focos de Calor e Desmatamento referente ao mês de outubro deste ano, produzido pelo órgão a partir de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). De acordo com o documento, no período avaliado foram detectados 3.714 focos de calor em 124 municípios do Estado do Pará - o que representa uma redução de 46% em comparação com o mês de setembro deste ano. O documento aponta ainda 57,94 km² de desmatamento no Estado. A íntegra do boletim pode ser acessada no link http://www.sie.pa.gov.br/intranet/noticias/upload/Boletim%20do%20desmata....

A maior incidência de focos de calor foi observada em Óbidos (157 focos), seguido por São Félix do Xingu (154). Nas Unidades de Conservação (UC), Terras Indígenas (TI) e Áreas Especiais, foram detectados 824 focos de calor, o que corresponde a aproximadamente 22,19% do total do Estado do Pará. A maior concentração ocorreu na TI Tumucumaque, onde foram registrados 51 focos. Merece destaque a redução dos focos de calor no município de Altamira, que, em setembro apresentou 708, diminuiu para 95 focos em outubro. O município, porém, apresenta números negativos no que se refere ao desmatamento, já que teve a maior área atingida no Estado (14,23 km²), seguido por Placas (9,68 km²). Por outro lado, a menor área desmatada foi detectada no município de Tailândia, com 0,28 km². Não foram identificadas áreas desmatadas em terras indígenas.

Verificou-se que 25,23% do total desmatado se localizou em unidades de conservação, correspondendo a uma área de 14,62 km². O território mais afetado foi a APA Trinfo do Xingu, com 3,24 km² de desmatamento, seguida pelo Buffer Interno da Flona de Itaituba, com 2,19 km². O menor desmatamento foi observado no Buffer interno Flona de Itaituba 2, em Itaituba, com 0,29 km² desmatados.

http://www.agenciapara.com.br/noticia.asp?id_ver=113458