Las noticias publicadas aquí se buscan a diario en distintas fuentes y transcribe como se presenta en su canal original. El Instituto Socioambiental no se hace responsable por errores u opiniones publicadas en estos textos.

Seculo Diario - http://www.seculodiario.com.br/
12/07/2018
Aterramentos e loteamentos no Polo Piracema sao questionados pela Camara

Aterramentos e loteamentos no Polo Piracema são questionados pela Câmara
12/07/2018 às 11:33

Fernanda Couzemenco

"O começo do fim do Mestre Álvaro!" Com esse apelo, os ambientalistas que atuam na região do Mestre Álvaro, incluindo a Área de Proteção Ambiental (APA) e seu entorno, convocam a sociedade civil organizada para participar da audiência pública que acontece nesta quinta-feira (12), a partir das 17h, no Plenário da Câmara Municipal.

A convocação é do vereador Pastor Aílton (PSC) e visa discutir o motivo da emissão de licenças pela Prefeitura da Serra, comandada por Audifax Barcelos (Rede), para as obras de aterramento e loteamento no entorno da unidade de conservação, em áreas de alagados do chamado Polo Piracema, próximo à Rodovia do Contorno.

O ecossistema local é muito sensível e serve de proteção para uma vasta região do município, evitando alagamentos em períodos chuvosos de bairros inteiros, como Jardim Carapina, Central Carapina e mesmo Jardim Limoeiro.

"Mas uma vez está em curso um plano sem escrúpulos que em nome da especulação imobiliária vem tentando aterrar e lotear todo o alagado no entorno do Mestre Álvaro, sufocando e isolando a biodiversidade que enriquece nossa montanha", clamam os ambientalistas, nas redes sociais.

Ataques em série

A região é uma das mais visadas pela especulação imobiliária nos municípios de Serra e Cariacica. Em 2016, o movimento ambientalista conseguiu mobilizar os vereadores serranos, que então vetaram o Projeto de Lei no 57/2016, de autoria da prefeitura, que previa o parcelamento do solo nos alagados.

No início deste ano, o ataque veio do Executivo Estadual, que conseguiu aprovar o PL no 99/2018, reduzindo em mais de mil hectares a área da APA, que foi reduzida de 3.740 ha para os atuais 2.389 ha.

Nesse período, mesmo sem conseguir legalizar a autorização para parcelamento, aterramento e loteamento do solo, o Executivo Municipal tem emitido licenças para essas obras degradadoras.

http://seculodiario.com.br/39415/10/aterramentos-e-loteamentos-no-polo-p...